Hospital Villa-Lobos amplia ambulatório e pronto-atendimento

O Hospital Villa-Lobos, referência no bairro da Mooca, passa por mudanças estruturais e ampliação de atendimento à população. Um ano depois de ser integrado à Rede D’Or São Luiz, maior grupo de hospitais privados do país, inaugurou novo Centro Médico Ambulatorial e está adaptando seu pronto-socorro para o modelo Smart Track.

Seguindo os planos de crescimento e expansão da Rede, com objetivo de melhorar o atendimento de saúde, o novo Centro Médico Ambulatorial ampliou de seis para 12 consultórios com modernas instalações, ambiente acolhedor e equipes multiprofissionais, dobrando sua capacidade de atendimento para 12 mil pessoas por mês. Localizado em um prédio próximo ao hospital, atende mais de 20 especialidades médicas, entre elas clínica geral, urologia, ortopedia e ginecologia.

No pronto-socorro será implantado o modelo de atendimento Smart Track, desenvolvido pela Rede D’Or São Luiz e caracterizado por ser um sistema ágil de primeiro atendimento, no qual o paciente passa por uma rápida triagem ainda na abertura da ficha e é levado imediatamente para o box de atendimento, onde é avaliado por diferentes profissionais, desde a admissão até a reavaliação, aumentando a efetividade do diagnóstico e tratamento.

“A adaptação estrutural está em processo de finalização, mas o conceito já está instalado no nosso PS. Esse é somente o início de diversas mudanças e reformulações que reforçará ainda mais a qualidade já existente no Hospital Villa-Lobos. Novidades e melhorias estão por vir”, informa dr. Flavio Akira Sakae, diretor da unidade.

Serviço – Centro Ambulatorial
Endereço: Rua Fernando Falcão, 1222 – Mooca
Horário de atendimento: de segunda a sexta, das 7h às 19h.
Agendamentos de consultas: (11) 3040-9260

Palestra gratuita: Anemia vira Leucemia?

O Hospital Villa-Lobos promove o Ciclo de Palestras à Comunidade, trazendo temas e discussões de diversas áreas da saúde, promovendo bem-estar, prevenção e qualidade de vida. As palestras são gratuitas e ministradas por renomados médicos da unidade.

Vagas limitadas!

Próxima palestra
Tema: Anemia Vira Leucemia? Quando encaminhar ao Onco-Hematologista Infantil
Especialista: Dr. Sérgio Perlamagna
Data: 18/05/2016, às 19h30
Local: Auditório – Rua do Oratório, 1329, Mooca
Inscrições pelo e-mail: priscila.corda@saoluiz.com.br

Baixa umidade relativa do ar pode prejudicar a visão

Os dias secos são mais frequentes no outono e no inverno e podem ser prejudiciais para a saúde dos olhos, saiba como proteger sua visão

Com o enfraquecimento do El Niño, o outono e o inverno de 2016 tendem a ser mais próximos do normal. “Ou seja, os períodos chuvosos devem diminuir cada vez mais e consequentemente o tempo fica mais seco e a umidade relativa do ar cai em muitas cidades”, explica a técnica em meteorologia da Somar, Patricia Vieira.

De acordo com o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), os meses mais secos do ano ocorrem durante o outono e o inverno, nas cidades localizadas na região central do país. E segundo Patricia, quando se tem muitos dias de tempo seco, o ar também tende a ficar mais poluído, e essa mistura pode representar riscos à saúde. “Nesta época, é comum pessoas apresentarem reações alérgicas oculares e síndrome do olho seco por conta da maior evaporação da lágrima e o ressecamento das mucosas”, conta o oftalmologista do Hospital Villa Lobos, Henock Altoé.

“A alergia ocular provoca inflamação das córneas e da conjuntiva, a membrana que reveste a parte branca dos olhos e a parte interna das pálpebras. Em casos mais graves, pode provocar lesões e úlceras e até a perda irreversível da visão”, explica Altoé.

De acordo com o especialista, algumas atividades podem aumentar a propensão a esses casos, como o uso de cremes e maquiagem, ambientes com ar condicionado, principalmente se não estiverem bem higienizados, e atividades que passam muito tempo em frente ao computador ou no trânsito.

Cuide-se

Para evitar o ressecamento, o oftalmologista recomenda o uso de umidificadores de ar. Lavar o rosto também é uma prática que pode ajudar a manter os olhos hidratados.

A higienização ocular e das mãos é essencial, mas ainda assim, é importante evitar o contato dos dedos com os olhos, já que este ato pode causar lesões ou micro lesões na superfície ocular, facilitando a penetração de micro-organismos.

Secou?
O uso de colírio é liberado, mas atenção com os colírios voltados para medicação. “Alguns compostos vendidos nas farmácias são específicos para doenças oculares, como antibióticos e devem ser utilizados apenas sob prescrição médica, pois o uso indiscriminado pode acarretar em doenças como glaucoma e catarata”, avisa Altoé.

E claro, se os sintomas persistirem, procure um oftalmologista, para auxiliá-lo no diagnóstico e tratamentos corretos.

Por Monique Gentil

 

Confira no link: http://www.tempoagora.com.br/bem-estar/baixa-umidade-relativa-ar-pode-prejudicar-visao/